Condomínio Simples

Controle de pragas: quando fazer?

controle de pragas
12/12/2017   publicado por: Condac Condomínios

É justamente na primavera e no verão que as pragas começam a se proliferar no Brasil. E o controle de pragas deve ser uma das preocupações de síndicos e administradora de condomínio a fim de manter os condôminos em segurança e em bom estado de conservação. Em tempos de epidemia como o zika vírus e a dengue, todo cuidado é pouco, mas deve-se considerar ainda uma série de outros animais que podem causar problemas de manutenção ou de saúde. Veja algumas boas práticas para o controle de pragas no seu condomínio!

 

Por que efetivar o controle de pragas?

Todo conglomerado humano possui risco de problemas com pragas – ainda mais nas temperaturas mais quentes do ano. Nos condomínios não é diferente. O espaço exclusivo e comum precisa receber anualmente, semestralmente ou sempre que necessário as ações de prevenção e controle de pragas – como roedores, formigas, cupins, pulgas, baratas, todos os demais tipos de insetos, principalmente os que são portadores ou transmissores de doenças. Este tipo de manutenção deve ser preventiva, e quando necessário, corretiva.

No mercado, há muitas empresas especializadas em soluções de dedetização e desratização, principalmente quando o espaço pertence ao condomínio. E para que o condomínio não fique sem este tipo de atendimento, o síndico ou responsável deve inserir a demanda do controle de pragas na sua agenda previamente, já que muitas empresas ficam sobrecarregadas e limitadas durante a primavera. É sempre indicado agendar previamente com a empresa em questão este tipo de assistência.

Outra dica é trabalhar com a manutenção preventiva do controle de pragas para que não haja infestação – neste caso, os serviços e soluções tendem a ser mais caros e o caos se instaura no condomínio, colocando todos os condôminos e funcionários muitas vezes em risco.

A assistência contínua e um contrato prévio com as empresas de dedetização e controle de pragas pode também ser mais favorável financeiramente – é possível economizar até 30% em caso de contrato contínuo em relação às contratações esporádicas dos mesmos serviços. Estas vantagens e definições podem passar pela assembleia, caso haja problemas com custos.

A responsabilidade do síndico ou responsável é zelar pelo controle de pragas e manutenção das áreas comuns do condomínio. Mas os proprietários das unidades também devem fazer a sua parte. No mais, é dever do síndico fazer o devido controle de pragas, podendo assumir prejuízos futuros caso haja a manutenção indevida ou inexistente desta demanda.

 

Prevenção, contratação e conscientização

É sabido que os roedores, baratas, formigas, cupins e mosquitos se reproduzem preferencialmente na primavera e também no início do verão – é neste período que ocorre a formação de novas colônias. Desta forma, a aplicação de produtos inseticidas e raticidas deve ocorrer antes que comecem a se multiplicar. Isso caracteriza uma ação preventiva eficiente.

Estes produtos podem ter uma ação prolongada de até seis meses, mas é preciso verificar o tipo de produto usado e as garantias do prestador de serviço. De qualquer forma, é indicado que o condomínio faça este tipo de manutenção duas vezes ao ano.

 

Como escolher a empresa para o serviço?

Não é qualquer empresa que pode utilizar produtos químicos como os pesticidas. O síndico deve tomar alguns cuidados na hora de contratar: a empresa deve ter autorização prévia dos órgãos legais para o uso destas substâncias e estar afiliada a alguma entidade de controle de pragas da sua região.

A empresa deve ainda ter a Licença de funcionamento da Vigilância Sanitária (seja estadual ou municipal), ter um responsável técnico (biólogo, engenheiro agrônomo, engenheiro florestal, médico veterinário, químico ou farmacêutico), estar devidamente registrada e ter CNPJ e sede própria.

É importante verificar os produtos usados (se não aprovados pelos órgãos reguladores e se não oferecem riscos à saúde e ao meio ambiente). É preciso verificar se todos os funcionários usam EPIs – Equipamentos de Proteção Individual na hora de executar a tarefa.

Este tipo de manutenção, deve ser previamente comunicado aos condôminos e novamente avisados com 48 horas de antecedência. Muitas vezes é preciso retirar do local crianças e animais.

 

Como é feita a dedetização? 

A empresa contratada deve fazer um diagnóstico prévio da situação do condomínio. Muitas vezes outros tipos de manutenção devem ser realizados – como trocar a tampa da caixa de gordura (que não pode estar quebrada ou fissurada), adquirir porta-iscas para roedores, fechar frestas, aquisição de protetores de ralos, etc.

Após a aplicação dos produtos, a empresa prestadora de serviços deve agendar uma nova visita para conferir a situação e tomar possíveis ações para garantir que o controle de pragas seja efetivado. Em geral, as empresas deste segmento dão 30 dias de garantia para o serviço realizado.

É importante que todos tenham a consciência de que a prevenção deve ser feita não apenas pelos responsáveis como o síndico, mas cada unidade deve manter em condições as suas respectivas moradias e todos os condôminos devem seguir as normas de limpeza e manutenção das áreas comuns, principalmente em relação ao lixo. Isso evita proliferações de pragas e incidentes desagradáveis.

 

Gostou do artigo? Como é feito o controle de praga em seu condomínio? Deixe um comentário!

Guia de Assembleias

 

 

Tags:
Icone House

Nós conhecemos a vida em condomínio

Temos soluções ideais para o seu condomínio